Dia da Marmota

O tempo passava e eu me sentia no Dia da Marmota. Parecia que estava presa em uma etapa que não acabava nunca. Fiquei toda empolgada com o curso e pouco tempo depois a entrevista com a Assistente, mas daí a coisa parece ter travado como no Feitiço do Tempo. O telefone não tocava mais…. Cade a entrevista com a psicóloga?

Não queria ligar no Fórum e parecer a mulher-desesperada-que-precisa-loucamente-ter-um-filho, mas aquela espera estava começando a me dar nos nervos. Já esperavamos havia mais de dois meses.

Nesse momento nada de bom passa pela cabeça, principalmente das mulheres, que tem uma liiiiinda imaginação fértil. Entre os milhares de devaneios que tive se destacam: perderam meus documentos (esse é meu predileto, acho que pensei isso umas 15 vezes durante todo o processo), falamos alguma coisa pra Assistente que pegou muito mal e nunca mais vão nos ligar, estão nos testando pra ver se resistimos, estão deixando passar um tempo pra perguntar tudo novamente pra ver se as informações batem (como fazem naqueles filmes policiais), as psicólogas estão em greve e por aí vai.

No acesso a internet apareciam vários registros com: processo enviado para Assistente, laudo da Assistente entregue, enviado para mesa, enviado para o cartório, enviado para psicologia, recebido da psicologia. Eu pensava: Jesus, porque raios peguei essa senha de internet, não entendo patavinas do que isso significa e tá me dando nos nervos!!!!!

Ok, parei de me preocupar em parecer louca e liguei no Fórum. Azar parecer louca, eu tava ficando mesmo. Ou ligava ou continuava a devorar toda a comida que via pela frente. Dai meu filho teria uma mãe obesa quando chegasse.

Me atenderam no cartório, pediram o número do processo e me deram a mesma informação que estava na internet. LEGAL! Informei que essa informação eu já tinha. Então educadamente o funcionário do Fórum disse: a senhora precisa ter um pouco de paciência. Eu comecei a gritar e dizer que isso não fazia sentido. Mentira, eu só fiz isso por dentro. Eu apenas agradeci e desliguei.

Mas, como toda pré-mãe-neorótica dei umas 3 horas de prazo e liguei novamente alterando  a voz (sim, eu fiz isso). O mesmo cara me atendeu pediu o número do processo, consultou e disse: senhora, nas últimas 3 horas nada mudou no seu processo. Não me alterei, agradeci e desliguei. Na sequencia comi um pote de sorvete.

Coincidência ou não, dois dias após a ligação-mico, totalizando 3 meses de espera, ligaram da área de psicologia agendando nossa entrevista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s