Ô lá em casa

Agora era hora de visitar minha família. Depois da experiência intensa com a família do Age resolvemos esperar um pouco até ir para Belo Horizonte apresentar a filhota para os meus. Minha mãe não gostou nada da história, mas acabou respeitando minha decisão.

Ao contrário da família do meu marido, que é elegante-discreta, a minha é um turbilhão. Falam alto, falam demais, falam o que pensam. Eu pedi minha mãe pra segurar a onda pra não assustar a pequena. Adivinha o que ela fez? Já veio atender o portão aos pranto, gesticulando e gritando boas vindas e quando viu a Tamires a arrancou dos meus braços olhando, cheirando, abraçando e beijando a menina. Sabe o que a Tamires fez? Riu.

Como minha mãe é foda! O carinho dela com a Tata foi tão verdadeiro, tão intenso, tão feliz que não tinha como não chorar vendo ela ali agachada sorrindo-chorando, apertando minha filha com aquele sentimento de: até quem fim minha filha me deu uma neta! Depois do escândalo inicial veio o resto da família. Todos sorrindo e felizes com a pequena. Minha avó apertava ela no peito com força e por um momento pensei que poderia matá-la sufocada, mas em seguida me lembrei que fui criada no meio daqueles peitos enormes e nada nunca me aconteceu.

Foi muito engraçado com meu padrasto. Disse pra Tata: esse é seu avô. Dai ele retrucou, como sempre faz com todos os netos, porque não quer parecer velho: não sou vovô não, sou titio. Pois ela, com um sorriso sacana na cara, disse: vovô. E os dois brincam assim até hoje. Inclusive, ela já pegou o jeito da coisa e quando quer algo dele o chama de titio. No mais, é sempre vovô! Com a boca bem cheia.

A surpresa ficou por conta da amizade entre ela e minha cunhada. Meu irmão é um dado, mas minha cunhada é bem tímida e fechada. A Tamires gostou muito dela e as duas são uma graça juntas.

Agora estávamos um pouquinho mais seguros e preparados “para sociedade”. A visita foi muito legal e a Tamires se divertiu muito. A casa grande e o primo da mesma idade parecia ser um presente dos deuses. Os dois ficaram grudados todos os dias e ficaram bem amiguinhos.

O resultado de uma dose cavalar de amor aparece em bem poucos dias, a Tamires já estava falando bem mais. Aumentando o vocabulário e melhorando a dicção. O amor pode ser mágico!

Anúncios

2 comentários sobre “Ô lá em casa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s